28 de fevereiro de 2009

COISAS DE SEMPRE

''Girl and her Duena'' (1670) - Bartolomeu Estebam Murillo

OUTROS LUGARES

Praça Manuel Vázquez Montalbám - Barcelona

(EX)CITAÇÕES
''Os triglicérides são uma desgraça. Mais ainda se o mau colesterol e a glicose também resolvem fazer das suas. É o que conclui o detetive Pepe Carvalho ao se instalar por quinze dias num balneário, famoso no passado pelos banhos de lama e hoje pelas dietas minimalistas de folhas e gelatina. O veredicto do médico-chefe é implacável: Carvalho é uma bomba-relógio ambulante e precisa urgentemente purificar seu organismo. Logo ele, um gourmet de grande estilo, tem de se submeter às mesmices do regime vegetariano. Carvalho já sonha com o roteiro gastronômico que cumprirá ao sair, e que inclui, é claro, uma escala no El Bulli de Ferran Adrià.''
OUTRAS CONVERSAS
''O seu pai, Evaristo Vázquez, republicano exilado em França, entrou clandestinamente em Espanha para conhecer o filho recém-nascido e foi preso. Enquanto estudava jornalismo, Montalbán trabalhou como cobrador de uma casa funerária e deu aulas no seu bairro. Estudou Filosofia e Letras na Universidade Autónoma de Barcelona.
O seu primeiro trabalho profissional foi uma biografia do
Cid. Em 1960 foi chefe nacional de propaganda do Servicio Universitário del Trabajo e depois colaborador interno da imprensa do Movimiento. Em 1961 casou com Ana Sallés e depois passou um ano e meio na prisão por ter participado numa manifestação. Ali escreveu o seu ensaio Informe sobre la información (1963). Entre 1963 e 1969 foi-lhe proibido o acesso aos meios de comunicação, e foi-lhe retirado o passaporte até 1972.
Participou na revista CAU (1970-74) e foi colaborador fixo da Triunfo e animador indiscutível das revistas Mundo Obrero, La Calle e Interviu. Em 1977 ingressou no Comité Central do Partido Socialista Unificado da Catalunha.
Montalbán é o criador do detective Pepe Carvalho, protagonista de uma série policial. Escreveu ainda livros de poesia e vários ensaios. Publicou também a Autobiografia do General Franco (1992).''
UM LIVRO
''OS MARES DO SUL'' - Manuel Vázquez Montalbán, Edições Asa, 2008;
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp
''the Stocklolm concert'' - Stan Getz Quartet (18.02.83), Sonet,1983:Notas de viagem:Stan Getz, sax tenor; Jim McNeely, piano; George Mraz, contrabaixo; Victor Lewis, bateria; - Em honra de ''Pepe Carvalho'', que ouvia também muito jazz.

27 de fevereiro de 2009

OUTROS TEMPOS


(EX)CITAÇÕES
''A Câmara Municipal de Coimbra criou uma Rota das Tabernas para revitalizar estas casas típicas, com séculos de história, e voltar a pô-las na moda. Contou 27. Agora, quer torná-las numa atracção turística e cultural. (...)Nas tabernas de Coimbra (algumas já desaparecidas), pararam figuras tão ilustres como Antero de Quental ou Bernardino Machado.
Mas também frequentavam estes locais, como ontem foi lembrado, diplomatas, banqueiros, cónegos, jornalistas. 'Houve até um taberneiro que chegou a professor catedrático!', recordou o vereador da Cultura.''
Fonte:http://jn.sapo.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Coimbra&Concelho.

26 de fevereiro de 2009

EM FRENTE!




Uma palavra de apreço para os ''Arsenalistas''. Mostram como se joga bom futebol. Infelizmente no Portugal de brandos costumes, não tem sido poupados. É pena! Excelente apuramento. Agora o PSG. Quem sabe, outros voos possam surgir.

''POSTCARDS''

O Amigo João envia postais com alguma frequência. Visita a Costa Sul da velha Albion. Gosta de Brighton e da suas praias. Dos bares também. Desconhece por ora o folhetim luso, em volta do nu de Courbet. O que diria a PSP de Braga, perante o bilhete postal oriundo das terras de Sua Majestade? Eu sei, apreendiam-me o dito. Teria pena e reclamava. Gosto sempre, de novas da Inglaterra.
(EX)CITAÇÕES
''Uma patrulha não tem de perceber de arte, e diante daquela exibição das coxas abertas e do sexo de uma mulher, os agentes viram pornografia pura e trataram de defender a moral pública e o pudor dos bracarenses. Parece que isso está nas suas atribuições, se bem que os bracarenses saibam distinguir uma página da ‘Gina’ de uma pintura de Courbet, o amigo de Proudhon e de Baudelaire. A arte tem destas coisas;'' Fonte:http://fjv-cronicas.blogspot.com/
OUTRAS CONVERSAS
''Brighton está localizada na costa sul da Inglaterra, e juntamente com sua vizinha imedita Hove forma a cidade de Brighton e Hove. Fica situada no condado de East Sussex. Brighton é um dos maiores e mais famosos resorts litorâneos do Reino Unido. Brighton, cujas origens remontam a antes do ano de 1086, tornou-se um importante resort no século XVIII e um importante ponto de parada de viajantes com a chegada da ferrovia em 1841. A partir daí, a cidade teve um rápido crescimento populacional, chegando a 160.000 habitantes em 1961. Atualmente, faz parte de uma conurbação de, aproximadamente, 480.000 pessoas ao longo da costa''
Fonte:Wikipédia
OUTRAS MÚSICAS
''MALICOOL'' - Roswell Rudd's/Toumani Diabate, Soundscape Series-Universal Music S.A. 2002.Notas de viagem: O clan Diabate com Roswell Rudd's no trombone. Os Blues no local de origem: Mali.

25 de fevereiro de 2009

COISAS DE 4ª. FEIRA

O Porto, sempre o Porto! Boa presença em Madrid.

Remo Bellini, o detective que gosta de Blues, voltou. Bem vindo!

SINOPSE

''Remo Bellini é um detective paulista, um solitário que gosta de blues, cerveja, e comida italiana - e tem pena de si próprio. É encarregue de procurar um manuscrito perdido de Dashiell Hammett o que o leva a um Rio de Janeiro misteriosos cheio de figuras da alta-sociedade e personagens extravagantes. Mas, entretanto, não esquece outro crime, cometido em S. Paulo: uma adolescente assassinada num colégio de classe média. A imagem dessa jovem, perversa, inocente e pornográfica, leva-o a outra investigação onde encontra uma jornalista irrequieta e sensual, traficantes de drogas, as estradas do interior do Brasil - e o Demónio.''

24 de fevereiro de 2009

COISAS DE SEMPRE

OUTRAS CONVERSAS
''Nascida no ano de 1882, esta Fábrica de Tabaco distingue-se por ser única a fazer charutos totalmente à mão, por meio de técnicas e métodos apurados. Uma tradição secular quase em extinção em todo o Mundo mas preservada em São Miguel.Estes charutos são feitos com três tipos de folhas, provenientes do Brasil, de Cuba e da República Dominicana, que constituem o enchimento, e pela folha de tabaco dos EUA e da Indonésia, que servem se capa.Na Fábrica de Tabaco Estrela é possível observar todo o processo de confecção dos charutos. Numa primeira fase, eles são enrolados manualmente e depois permanecem durante dois dias num molde com o objectivo de ganhar a forma que os caracteriza. Passados estes dias transitam para uma sala com uma temperatura baixa, que vai permitir secar a humidade existente nos charutos. Depois de secos são cortados e a partir daí são-lhes então colocadas as capas.Deste processo resultam três tipos de charutos: o Meia Coroa, o Coroa, e por fim o Robusto Estrela.Os charutos da Fábrica de Tabaco Estrela possuem um aroma único, equilibrado, que resulta da junção perfeita entre as melhores folhas de Tabaco do Mundo.Mas ao percorrermos os corredores desta fábrica depressa nos apercebemos de que ali também se produzem cigarrilhas e cigarros.Toda a produção é feita com folhas de tabaco importadas que, numa fase posterior, são trabalhadas e empacotadas na Fábrica de São Miguel.Visto, inicialmente, como uma medicina milagrosa, um elemento imprescindível em cerimónias religiosas e militares, um alucinógeno ou, até mesmo, como complemento alimentar, e mais tarde como uma moda ou forma de prazer, o Tabaco foi desde cedo incorporado na vida das pessoas. Nos Açores a sua cultura iniciou-se por volta 1820.''

PORTUGUÊS SUAVE


''Auto-retrato'' - Gustave Courbet
''Bela Irlandesa'' - Gustave Courbet
(EX)CITAÇÕES
''PSP apreende livros por considerar pornográfica capa com quadro de Courbet
A PSP de Braga apreendeu hoje numa feira de livros de saldo alguns exemplares de um livro sobre pintura. A polícia considerou que o quadro do pintor Gustave Courbet, reproduzido nas capas dos exemplares, era pornográfico, adiantou uma fonte da empresa livreira.''
OUTRAS CONVERSAS
Gustave Courbet (Ornans, 10 de Junho de 1819La-Tour-de-Peilz, 31 de Dezembro de 1877) foi um pintor anarquista francês pertencente à escola realista. Foi acima de tudo um pintor de paisagens campestres e marítimas onde o romantismo e idealização da altura são substituídos por uma representação da realidade fruto de observação directa. Esta busca da verdade é transposta para a tela em pinceladas espontaneas que não deixam de lado os aspectos menos estéticos do que é observado.
Courbet nasceu numa família de proprietários de terra de
Besançon, na França. Depois de freqüentar um colégio na mesma cidade, começou a ter aulas de pintura e iniciou seus estudos de direito em Paris. Finalmente decidiu estudar desenho e pintura por iniciativa própria, copiando os grandes mestres no Louvre, principalmente Hals e Velázquez. Suas primeiras obras foram uma série de auto-retratos. Em 1844 expôs pela primeira vez no Salão de Paris e dois anos mais tarde apresentou os quadros Enterro em Ornans e O Ateliê do Artista, que lhe custaram críticas severas e a recusa do Salão de Paris devido aos seus temas demasiadamente prosaicos. Courbet não se deu por vencido e construiu um pavilhão perto do Salão, onde expôs quarenta e quatro de suas obras, que chamou de realista, fundando assim esse movimento.''
Fonte: Wikipédia.

23 de fevereiro de 2009

CORES DO CARNAVAL


''O Carnaval no Brasil escravocrata'' - Debret

''AFROBRASIL'' - Hector Carybé


''A MULATA GRANDE'' - Hector Carybé


(EX)CITAÇÕES

''O carnaval foi introduzido no Brasil pelos portugueses, provavelmente no século XVII, com o nome de entrudo. Essa forma de brincar, que persistiu durante a Colônia e a Monarquia, consistia num folguedo alegre mas violento. As pessoas atiravam umas nas outras água com bisnagas ou limões de cera e depois pó, cal e tudo que tivessem às mãos. Combatido como jogo selvagem, o entrudo prevaleceu até aparecerem elementos de brincar menos agressivos, como o confete, a serpentina e o lança-perfume. Daí em diante, através dos tempos, o carnaval foi inovando. Em 1840 realizou-se o primeiro baile. Em 1846 surgiu o Zé Pereira, grupo dos foliões de rua com bombos e tambores. Vieram depois os cordões, as sociedades carnavalescas, blocos e ranchos. O corso, hoje desaparecido, consistia num desfile de carros pelas ruas da cidade, todos de capota arriada, com foliões fantasiados atirando confetes e serpentinas uns nos outros. Em 1929, foi fundada a primeira escola de samba (Deixa Falar), no bairro carioca do Estácio, seguida de várias outras, no Rio de Janeiro e em outros estados.''

UM LIVRO
''ELA E OUTRAS MULHERES'' - Rubem Fonseca, Campo das Letras, Editores SA, 2008.Notas de viagem: ''Obrigatório'' ler.
OUTRAS MÚSICAS, MPB em Lp
''CAÇADOR DE MIM'' - Milton Nascimento, Polygram Discos SARL, 1981.Notas de viagem: Participação dos ''Roupa Nova'', ''Tunai'', ''Grupo UAKTI'', Flavio Venturini e Maestro Wagner Tiso. Incluo na secção ''Preciosidades''.

22 de fevereiro de 2009

''NOTÍCIAS DO PARAÍSO''


Leva-me a navegar, pelo largo mar*Escrito por: yoani.sanchez en Geração Y
Numa terra rodeada de água, o marinheiro é um vínculo com o outro lado, o portador dessas imagens que a insularidade não deixa ver. No caso cubano, quem trabalha num barco pode, além disso, comprar no estrangeiro muitos produtos inexistentes nos mercados locais. Uma espécie de Ulisses, que depois de meses navegando, trás sua mala cheia de quinquilharias para a família. O marítimo faz a ligação dos eletrodomésticos transladados nas barrigas dos navios com o mercado negro; faz com que as modas cheguem antes do planejado pelos burocratas do comércio interior.
Durante várias décadas, ser “marinheiro mercante” era pertencer a uma seleta confraria que podia ir mais além do horizonte e trazer objetos nunca vistos nestas latitudes. Os primeiros jeans, gravadoras cassete e chicletes que toquei na minha vida foram transportados por esses afortunados tripulantes. O mesmo ocorreu com os relógios digitais, os televisores a cores e alguns automóveis, que em nada se pareciam aos poucos atrativos Lada e Moskovich.
Para os parentes de um marinheiro, os compridos meses de ausência são suavizados com o bálsamo econômico que produzirá a estadia em portos com preços mais baratos e melhores qualidades que as lojas cubanas. Quando chega a idade de aposentar-se e de içar a ancora, então é viver do que foi possível transportar e das imagens que ficaram na memória.
Conto essa história de barcos, mastros e mercado informal, porque Oscar, o marido da blogueira de
Sin Evasión, está ameaçado com a expulsão de seu trabalho como marinheiro. O motivo: a decisão de Miriam Celaya de tirar a máscara e continuar escrevendo suas opiniões de cara descoberta. O castigo: deixar a família sem o necessário sustento. Por ela navegar livre na rede, ele pode perder a possibilidade de sulcar as águas.
*Da canção infantil “Barquinho de papel”. Nota de viagem: o site de Yoani Sanchez faz de forma automática, a tradução do castelhano para português.

21 de fevereiro de 2009

OUTROS TEMPOS



Recordando um ''CONCERTO'' fabuloso de Van Morrison. Ficam algumas sugestões da vasta discografia do músico irlandês.
''MONTREUX JAZZ FESTIVAL'' - July 11, 1984, Red Line - MILANO; Nota de viagem: Origem ''BLACK MARKET''.
''A Sense of Wonder'' - Caledonia Productions, Inc.,USA - 1984;
''Hymns To The Silence'' - Caledónia Productions Ldª., 1991;
''a night in san francisco'' recorded live at the Masonic Auditorium San Francisco, Exile Productions, 1994;

COISAS RARAS

PRAIA DO AMADO- CARRAPATEIRA

FILME(S) DE SEMPRE





Cinema. O olhar dos mestres intemporais. Encontro em saldo ''Chinatown''. A preto e branco gosto de fotografia, mas também de histórias transportadas ao grande écran. Roman Polanski filmou nesta tradição. O romance a negro. Um clássico com Jack Nicholson, Faye Dunaway, uma lenda de nome John Huston e Robert Town. Histórias de outros tempos. Tenho cinema para ver no fim de semana. Olhares e histórias de sempre!
OUTRAS CONVERSAS
''Los Angeles, 1937. J.J. Gittes (Jack Nicholson), um detetive particular, recebe a visita de uma mulher que deseja contratá-lo, pois acredita que seu marido, o engenheiro-chefe do Departamento de Águas e Energia, tem um caso. Porém, Gittes logo descobre que sua cliente na verdade era uma farsante, mas a verdadeira Evelyn Mulwray (Faye Dunaway) o encontra. Quando o marido aparece morto no reservatório de água da cidade, Gittes percebe a gravidade do caso. Seu envolvimento leva-o a ser atacado por gângsters e, após manter um romance com Evelyn, descobre que ela é filha de Noah Cross (John Huston), um dos homens mais poderosos da cidade. Gittes desconfia então que Cross, um rico proprietário que tem interesses ilícitos nas terras próximas ao reservatório, teve uma relação incestuosa com a filha, nascendo daí a jovem vista com o marido de Evelyn.''

20 de fevereiro de 2009

BILHETE POSTAL

'Nos tempos em que os cartazes publicitários estavam em voga, havia dois slogans que eu admirava acima de quaisquer outros: o antigo anúncio dos charutos Cremo que proclamava «Spit Is a Horrid Word - but Worse on the End of Your Cigar » (Cuspo É uma palavra Horrível - mas É Pior na Ponta do seu Charuto), e « Drink Schlitz in Brown Bottles and Avoid That Skunk Taste » (Beba Schlitz em Garrafas Castanhas e Evite Aquele Travo a Doninha). Já não se encontra escrita criativa como esta.'
in, A BOA VIDA segundo Hemingway - A.E.Hotchner, Casa das Letras,2008
UM LIVRO
''O COZINHEIRO DO REI'' - Hélio Loureiro, A Esfera dos Livros, Abril 2008.
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp
''Ahmad Jamaml/Gary Burton in Concert'' recorded live at Midem, January 26,1981 - Gala Productions Inc. Editado e distribuído por Dargil,Ldª.
Notas de viagem:1) Ahmad Jamal, piano; Gary Burton, Vibrafone; Sabu Adeyola, contrabaixo; Payton Crossley, bateria; 2) Categoria: ''Preciosidades''.

18 de fevereiro de 2009

OUTROS TEMPOS


''From the last photos'' - George Barris



(EX)CITAÇÕES

“Não é especial, é especialíssimo. Nasci no Porto, vivo no Porto e amo a minha cidade. Todo o trabalho do F.C. Porto é um trabalho que me toca sempre o fundo do coração.” Fonte: Manoel de Oliveira

OUTRAS CORES

''RED JAZZ'' - Didier Lourenço

UM LIVRO
''MEMÓRIAS DE UM CHAUFFEUR DE TAXI'' - Reinaldo Ferreira, Colecção Vampiro, - OS MESTRES DA LITERATURA POLICIAL - Editora Livros do Brasil, 2007.
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Cd
RÃO KYAO ao vivo, Festival Internacional Cascais Jazz 80 Portugal, Movieplay 2002.

17 de fevereiro de 2009

LEITURAS: LEONARDO PADURA


''O peculiar tenente Mario Conde está de volta e, com ele, as ruas de Havana. Mas esta cidade é muito diferente da que nos é mostrada nos folhetos turísticos. A Havana de Conde é feita de pessoas, de vidas atribuladas, de memórias, melancolia e esperança. Por isso Um Passado Perfeito transcende o romance policial. Desta feita, a investigação de Mario Conde tem a força de uma viagem ao passado: o desaparecimento de Rafael Morín, seu antigo colega de escola e actual funcionário da nomenclatura cubana, conduz o detective a Tamara, a mulher que sempre amou e que é agora casada com Morín. Mas a exemplar ascensão social do desaparecido parece esconder alguns episódios suspeitos que merecem ser explorados. Enquanto investiga este caso na sua decadente mas adorada Havana, Mario Conde confronta o seu amor fracassado por Tamara e os sonhos e ilusões da sua geração.''
É pena que no posfácio do livro não se faça o alerta. Trata-se de uma ''regressão'' quer na obra do escritor, assim como ''na vida'' de Mario Conde. O livro data de 1999, logo chega uma década depois a Portugal. Felizmente antes tarde, que nunca!
OUTRAS CONVERSAS
''Aproveito para falar de um dos meus preferidos: o cubano Leonardo Padura.Estão vários livros dele publicados em Portugal. Tenho-o seguido com prazer. A sua escrita anda dentro da matriz em que se enquadram o Pepe Carvalho de Montalban e o Montalbano de Camilleri, entre outros. Há dois que me tocaram particularmente, "Morte em Havana" e "Adeus, Hemingway". Hoje falo de "A neblina do Passado".É uma espécie de bolero melancólico, apaixonado, decadente. A escrita de Padura é assim. Envolve-nos. Parece que nos ignora e de repente percebemos que estamos presos na malha do escritor, que nos identificamos com o seu personagem, Mário Conde e as suas intuições, a sua dignidade e os seus lamentos. E parece que somos amigos e dávamos tudo para estar ao lado daqueles amigos excessivos e trágicos de Mário Conde, ex-polícia, homem de princípios inabaláveis que põe a amizade e a ética acima de tudo o mais.Nos seus livros, Padura critica claramente o regime cubano pela sua decadência, pela miséria e pela corrupção. Mas percebemos que é um homem que não quer voltar atrás embora tenha muito pouca fé no futuro.A narrativa é musical, saudosista, mergulha no passado para nos falar de uma Cuba onde a história deixou muita gente nas pregas dos seus desejos e onde as memórias ainda podem ser escaldantes e perigosas.Padura continua a sua magnífica personagem, Mário Conde, que bebe demais, faz grandes jantaradas com os amigos quando tem dinheiro, que é de uma incorruptível fidelidade aos seus princípios e à sua amante, Tâmara, que adora livros, sonha ser escritor, encontra-se em sonhos com Sallinger, o seu escritor preferido, e que se apaixona por uma voz que vem do passado num único disco de vinil.É como se o autor se dirigisse a nós, leitores, e nos arrastasse para a pista de dança quando a pesada noite tropical nos envolve e as palavras nos convidam para o veneno de um bolero. Que mais se pode querer?''
Fonte: José Fanha, inhttp://7leitores.blogspot.com

COISAS (SÉRIAS) DO NEOLIBERALISMO!

Com a devida vénia, a Joana Amaral Dias,
''Desapareceram, pelo menos, 125 mil milhões de dólares canalizados para a reconstrução do Iraque. Ou seja: Invadiram e destruíram um país sem razão alguma. Morreram milhares. Depois, pegaram nas centenas de biliões destinados à reconstrução e meteram-nas ao bolso. A reconstrução do Iraque, para além do seu objectivo óbvio, supostamente servia para demonstrar a boa-fé dos EUA. Não aconteceu nenhuma das duas coisas. Pois é. Não pouparam dinheiro em luvas. Mas os republicanos estão agora muito preocupados com os gastos destinados a estimular a economia.''
OUTRAS CONVERSAS
''Hugo Chávez já pode ser reeleito chefe do Estado da Venezuela nas eleições presidenciais de 2012, de 2018, de 2024, enfim, até que decida candidatar-se e até que os resultados do escrutínio revelem a sua vitória. Esta é a principal consequência da emenda constitucional que no domingo foi aprovada com uma vantagem de quase dez pontos, 54,36% contra 45,63%, num referendo em que um em cada três venezuelanos não participou.''
Fonte:Patrícia Viegas,

OUTRAS HISTÓRIAS



OUTRAS CONVERSAS
A Nêspera

Uma nêspera
estava na cama
deitada
muito calada
a ver
o que acontecia

chegou a Velha
e disse
olha uma nêspera
e zás comeu-a

é o que acontece
às nêsperas
que ficam deitadas
caladas
a esperar
o que acontece

Mário Henrique Leiria,
in Novos Contos do Gin
(EX)CITAÇÕES
''LER – Num ano em que o país convidado da Arco de Madrid é a Índia vem a calhar ler o magnífico «Uma Ideia da Índia», um conjunto de crónicas de viagem de Alberto Morávia escritas no início da década de 60 para o «Corriere della Será». A descrição dos locais, do funcionamento da sociedade indiana e da filosofia oriental são muito bem feitas, muito bem observadas. O livro, agora reeditado entre nós, está incluído numa nova colecção da editora «Tinta da China», dedicada a viagens, bem organizada e seleccionada por Carlos Vaz Marques. Boas capas, bom papel, bom grafismo – um exemplo raro nos dias de hoje.''
Fonte:Manuel Falcão, in http://aesquinadorio.blogs.sapo.pt/

16 de fevereiro de 2009

PORTUGUÊS SUAVE


No passado Sábado a jornalista Maria Flor Pedroso, (Antena 1) entrevistou Carvalho da Silva da CGTP. Não esperava outra atitude por parte da organização sindical e do seu líder. As correias de transmissão tendem sempre a servir os motores que suportam. Gastos ou não arrastam-se. Por vezes quando largas fazem ruído. Também se partem. Aquele apelo de Carvalho da Silva para um Presidente vigilante é obra. Um modelo de Presidente da República com mais poderes, acima de tudo interventivo, quase tocando o céu. Por momentos pensei que o líder da CGTP Intersindical invocava a intervenção do Rei. Por uma vez estive de acordo com a CGTP, na pessoa de Carvalho da Silva. Existe sempre uma vez primeira. Esta foi pelo meu País!
(EX)CITAÇÕES:
''Um dos problemas com as polémicas nacionais é rapidamente descambarem para o atrevimento dos ignorantes. Quem não sabe compara o que não sabe e porque não sabe ignora o ridículo das comparações absurdas. Estaline purgava as direcções do PC, prendia os antigos companheiros, torturava-os, levava-os a julgamentos fictícios e matava-os com um tiro na nuca nas caves da Tcheka e NKVD.Nikolai Bukharine, com Lenine o maior teórico russo do comunismo, levado a tribunal por Estaline, em 1937, confessou-se autor de todos os crimes, foi condenado e fuzilado. Joana Amaral Dias, depois da convenção do BE, onde foi destituída, deu entrevistas e foi jantar. Leon Trotsky foi perseguido até ao México, morto com um picador gelo e apagado das fotografias do Kremlin. Joana Amaral Dias foi muito fotografada na tal convenção.''
Fonte: Ferreira Fernandes, http://dn.sapo.pt/2009/02/15
UM LIVRO
''Money'' - Martin Amis, Teorema, Setembro de 2001.
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp
''DON´T TRY THIS AT HOME'' - Michael Brecker, Impulse, 1988.Notas de viagem: Mike Stern, guitarras; Don Grolnick, piano; Charlie Haden, baixo acústico; Mark O'Connor, violino; Herbie Hancock, piano; Jack Dejohnette, bateria. Jazz, Fusões, ouvir, e ouvir muito. Sempre.

15 de fevereiro de 2009

COISAS RARAS

'O outro Algarve'

UM LIVRO
''Apresentação da POESIA BRASILEIRA'' - Manuel Bandeira, EDIÇÕES DE OURO, 1964.
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp
''IN THE BEGINNING'' - NAT 'KING' COLE TRIO, MCA Records Inc. 1985.Notas de viagem: Categoria: '' Preciosidades''.

14 de fevereiro de 2009

TRISTE (EN)FADO!


Perdeu-se de todo a vergonha. A televisão (todas) querem substituir-se ao Ministério Público, aos Juízes, Tribunais. Querem julgar com base no ''diz que diz''. Como sempre, em Portugal a coisa toca o grotesco. Não se perdeu o hábito das fogueiras na Praça Pública. Esta inquisição é mais requintada. A minha relação com a dita televisão era felizmente - apenas e tão só - o Canal 2 e a SIC NOT. (Mário Crespo e Ana Lourenço). A excepção seria ver o FÊCEPÊ. Bem haja invicta cidade. Amanhã joga o Porto, logo vejo televisão.
(EX)CITAÇÕES
''Alguns dos aviões russos Antonov que desapareceram em Angola durante a guerra entre o MPLA e a UNITA foram utilizados na rodagem do filme «O Senhor da Guerra», revela a revista russa Ekho, que sairá para as bancas sexta-feira.
O principal herói desse filme de Holywood é o traficante de armas soviético Iúri Orlov, interpretado pelo actor Nicolas Cage e que teve como modelo Victor But, russo que foi detido em 2008, na Tailândia, a pedido das autoridades norte-americanas.
Entre outros crimes, But, antigo militar russo que domina perfeitamente o português e trabalhou em Angola e Moçambique, é acusado de traficar armas.''
Fonte:http://www.cinema.iol.pt/
UM LIVRO
''GUIA DA BARCELONA DE CARLOS RUIZ ZAFÓN'' - Sergi Doria, Editorial Planeta SA. 2008. Notas de viagem: Ir sempre, lendo ou não o livro.
OUTRAS MÚSICAS, em Lp
''CORAÇÕES FUTURISTAS'' - Egberto Gismonti, EMI Valentim de Carvalho,1976. Notas de viagem: Categoria, ''Preciosidades''. Saravá!

PORQUE HOJE É SÁBADO!

Honoré Daumier



(EX)CITAÇÕES

''De alguma maneira, a Póvoa é a nossa pequena Paraty. Cabem-lhe elogios que não devemos regatear: é o único lugar onde cabem todos os escritores e todos os milhares de leitores que não vêm no registo da 'oferta cultural' de Lisboa e do Porto. Em todo o mundo, a Póvoa de Varzim espalha o seu nome com letras de ouro.'' Fonte:http://fjv-cronicas.blogspot.com/


OUTRAS CONVERSAS

''O darwinismo chegou a Portugal em 1865 pela mão de um botânico da Universidade de Coimbra, Júlio Augusto Henriques, que tratou o tema na sua tese de doutoramento (“As espécies são mudáveis?”). No ano seguinte ele retomou o tema no seu concurso para professor da Faculdade de Filosofia. Lembre-se que a “A Origem das Espécies” imediatamente suscitou uma grande procura (até 1913 publicaram-se em Inglaterra nada mais nada menos do que 148 edições!). O nosso atraso foi, por isso, apenas de seis anos, certamente atenuado pelo facto de a recepção de Júlio Henriques ter sido favorável... Mas a tradução em português da “Origem das Espécies”, na Livraria Chardron da Lello e Irmão, só apareceu em 1913 (a tradução de “A Origem do Homem”, cujo original é de 1871, teve lugar em 1910). Pasme-se com este atraso de 54 anos da edição portuguesa quando já havia centenas de edições por todo o mundo! Tal atraso poderá ser justificado pela acessibilidade de traduções francesas e pelo facto de a cultura francófona reinar entre nós na segunda metade do século XIX. Mas é, convenhamos, uma fraca justificação! Como é que se poderia ser darwinista ou antidarwinista sem se conhecer Darwin no original ou, pelo menos, sem ter uma boa tradução em português, que assegurasse um correcto entendimento e uma boa incorporação na cultura nacional?''

UM LIVRO

''A CONSPIRAÇÃO DE PAPEL'' - David Liss, Edições Saída de Emergência, Janeiro de 2009. http://www.saidadeemergencia.com/


OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp

''LOVE SUPREME'' - John Coltrane featuring Mc Coy Tyner, enregistrés à Antibes (26/07/65), Esoldun 1987. Notas de viagem: Categoria: ''Preciosidades''.

13 de fevereiro de 2009

LEMBRANDO A PRIMAVERA

''Leves são os pássaros'' - Margarida Cepêda

COISAS DO CARAÇAS!


Com a devida vénia a Yoani Sanchez, LISTA DE PEDIDOS, en Generación Y
''O bolso da minha amiga Yuslemi não se recuperou da última reunião na escola primária de seu filho. Uma parte do encontro entre os pais e a mestra foi dedicado às necessidades de aula, especialmente discutir o valor que cada família entregará para comprar o tão necessário ventilador. O tema da limpeza ocupou ao redor de vinte minutos e cada pai anotou vários produtos como detergente, esfregão e uma escova, que devem trazer nos próximos dias. Com cinco pesos mensais por cada estudante, será paga uma senhora que limpará o local uma vez por semana.
A escola carece de pessoal de limpeza, pois os baixos salários não atraem ninguém. A pessoa contratada de forma ilegal, provavelmente será uma aposentada que não terá nenhuma proteção laboral ao realizar este trabalho, nem férias nem proteção em caso de doença. Trata-se de algo parecido ao que na Europa se chama “trabalho informal” e que em Cuba conhecemos como ocupação ” pela esquerda” .
Quando já parecia que terminava o encontro, chegou a vez de outro tipo de pedidos. Perguntaram se algum pai poderia reparar as cadeiras que se quebraram e um senhor levantou a mão para assumir a tarefa. Outro assegurou que levaria um cadeado para a porta e uma mamãe se comprometeu a imprimir as provas de matemática, que realizar-se-ão nos finais de Janeiro. A escola carece de fotocopiadora ou impressora, assim é que a reprodução das provas depende de algum pai que trabalhe num centro estatal onde existam estes recursos. Tudo isso foi acordado numa atmosfera de normalidade e a professora - ao terminar de ler a lista de pedidos - declarou que a reunião havia sido um êxito.''
Fonte:http://desdecuba.com/generaciony_pt/ Nota: O site traduz de forma automática do castelhano, para o português.

OUTROS OLHARES

''Evening Lounge'' - Brent Lynch


OUTRAS CONVERSAS
«Biografia de Maria Adelaide Coelho
O meu próximo livro está quase a sair. É biografia de Maria Adelaide Coelho, filha mais velha e herdeira de Eduardo Coelho, fundador e co-proprietário do Diário de Notícias.A história, tal como lhe peguei, começa a meio, mas este «meio» é um principio: aos 48 anos de idade, Maria Adelaide abandona uma vida luxuosa e muito cosmopolita, um marido a quem já não ama, e que, segundo ela, mostrava pagar-lhe na mesma moeda, e ...foge com o motorista de 26 anos. Troca assim um magnífico palácio -- São Vicente -- por um primeiro andar alugado em Santa Comba Dão. Peles, sedas, cetins, jóias, por uma saia de chita, coberta com um avental e um lenço na cabeça, «à espanhola». Um marido poeta, escritor, jornalista, por um «chauffeur».Está apaixonada, e farta do que chama o «teatro da vida». Corre o ano de 1918... Em breve, o idílio é interrompido e Maria Adelaide é internada no Hospital Conde de Ferreira, uma instituição para alienados, no Porto...E isto é só o começo.»
UM LIVRO
''UM PASSADO PERFEITO'' - Leonardo Padura, Edições Asa, 2009.Notas de viagem: Uma regressão no tempo. Vamos encontrar ainda o tenente Mario Conde como investigador na polícia de Havana. Um dos livros da tetralogia ''As Quatro Estações'' ou seja: ''Morte em Havana'', ''Paisagem de Outono'' e ''Ventos de Quaresma''. Durante uns dias, sei o que vou ler.
OUTRAS MÚSICAS, jazz em Lp
''ISLAND LADY'' - Sonny Rollins, Lotus Records, 1980.

12 de fevereiro de 2009

OUTROS ASSUNTOS


Com a devida vénia, a Yoani Sanchez
NOSTALGIA DE PIZZA, en Geração Y

«Chegaram com força nos anos setenta para romper a falta de grãos no mercado racionado. Em meio ao arroz com feijão cotidiano, as pizzas nos invadiram com sua novidade e suas cores. Em cada província se construiu uma pizzaria e se criou uma receita própria, motivo de espanto para qualquer chef mediterraneo, porém que arrebata os ilhéus. Grossas, com muito tomate e com as bordas crocantes, assim se gravaram na mente de várias gerações de cubanos.
Depois veio a crise dos anos noventa e os locais de comida italiana vendiam sómente infusão de casca de laranja e cigarros. Nos enchemos de nostalgia pelas lasanhas e os espaguetis degustados nas “douradas” décadas do subsídio soviético. O tema da comida fez-se inevitável quando os amigos se reuniam, e dentro disso as pizzas despertavam as maiores nostalgias.Quando a pressão da fome e a inconformidade fizeram estourar a chamada crise dos balseiros em agosto de 1994, o governo autorizou o trabalho por conta própria. Das mãos desses empreendedores comerciantes regressaram os produtos perdidos feitos com farinha.
Muitos empregados cubanos dependem hoje da pizza “das ruas”, vendida por mãos privadas. Com ela suprem o deplorável almoço de seu centro de trabalho. Sem embargo, desde fazem meses, nas cafeterias familiares escasseiam as ofertas. O prolongado ataque contra o mercado informal, produto da crise deixado pelos furacões, estrangulou os vendedores de alimentos. Sem o desvio de recursos estatais pouco poderiam fazer estes trabalhadores autônomos que não contam com um mercado atacadista. Teme-se que o popular alimento termine por ser vendido sómente em pesos conversíveis e volte a ser assim inacessivel. Por brincadeira há quem assegure que cansada de tantas adulterações, a pizza terminou por repatriar-se na Itália.»

OUTROS POEMAS


A palavra manuseada como um artesão. O verso cuidado. O verdadeiro poeta das cores. Em português, ''Por Amor e Outros Poemas''. Coisas de OFÍCIO DIÁRIO.

(EX)CITAÇÕES:
''Mario Conde, o detective do cubano Leonardo Padura regressa ao convívio com os leitores portugueses em 'Um Passado Perfeito' (edição Asa) – desta vez é menos um policial do que uma viagem às memórias da sua geração desencantada.''Fonte:http://fjv-cronicas.blogspot.com/
OUTRAS CONVERSAS
''Há um século, em Setembro de 1908, uma fábrica de Detroit lançou o primeiro Ford Modelo T. Desde aí, a América andou sobre rodas. Marcas-lenda: Studebaker, Buick... Automóvel e América, um casamento com frase célebre: "O que é bom para a General Motors é bom para a América." Carros e literatura americana: a carripana de Joad a caminho da Califórnia em As Vinhas da Ira; o On The Road, de Kérouac... Carros e música: Rocket 88, de Bill Haley, a primeira canção rock 'n'roll, com verso sobre "o motor V-8"... Palavras mundiais: limousine, convertible... Mitos: Route 66... Formas tão conseguidas que até os franceses se inclinaram, perante o Mustang e o Bel-Air, com esta expressão: Belles américaines. Ir ao cinema sem sair do carro, comprar hambúrgueres sem sair do carro, casar em Las Vegas sem sair do carro, perder a virgindade no banco traseiro... Corridas doidas na ficção (Fúria de Viver) e corridas doidas de verdade em Daytona. Automóvel e América, um dos casais do século... Em Janeiro de 2009, pela primeira vez, não foram os americanos que compraram mais carros (650 mil), foram os chineses (790 mil). A História também anda sobre rodas.''
Fonte: Ferreira Fernandes,
UM LIVRO
''O DESERTO'' - Eça de Queirós, Edição Alma Azul, Setembro de 2006. http://www.alma-azul.pt/
OUTRAS MÚSICAS
''I REMEMBER MILES''- SHIRLEY HORN, PolyGram Records Inc.1998. Notas de viagem: Shirley Horn, voz e piano; Roy Hargrove, trompete; Buck Hill, sax tenor; Toots Thielemans, harmónica; Ron Carter e Charles Ables, contrabaixo; Al Foster e Steve Willams, bateria. Categoria: ''Vintage''.

11 de fevereiro de 2009

OUTROS ASSUNTOS

Honoré Daumier

Portugal tem destas coisas. Primeiro a crise. Sempre dela ouvi falar. Agora 'O Medo'. Por momentos pensei que os livros de Franz Kafka e do Edgar Allan Poe estivessem esgotados. De um País de Poetas, somos agora de leitores. Sonhei. O Sol hoje voltou em pleno. O Carnaval também a seu tempo virá.
(EX)CITAÇÕES
'' Havia muita gente escondida debaixo da mesa quando Ramalho Eanes se ergueu contra o medo por dever não administrativo. Fê-lo com serenidade, conta, peso e medida.Não esmagou ninguém com a sua coragem pessoal e política. Muitos heróis só apareceram depois. Tem-se remetido a um silêncio que sugere um exílio interior perante tantos talentos à solta. Foi ontem ao Instituto de Defesa Nacional fazer uma conferência sobre estratégia nacional e achou oportuno denunciar um medo difuso que encontra na sociedade portuguesa.Tenho a certeza que se Ramalho Eanes um dia achar insuportável a situação o dirá com todas as letras.''
Fonte:José Medeiros Ferreira, in http://bichos-carpinteiros.blogspot.com/

10 de fevereiro de 2009

SEMPRE COM (MUITO) SWING!

A notícia correu rápido no roda-pé da televisão. ''Morreu Cachaito''. O Swing, o Jazz e as sonoridades do caribe ficaram mais pobres. Tempo de dizer: Obrigado, ORLANDO CACHAITO LOPEZ!

9 de fevereiro de 2009

O BURRO!


Não posso ficar satisfeito com a situação de desemprego, seja de quem for. Eu sei do que falo! Assim como também nada tenho contra brasileiro(a)s. Aliás do Brasil adoro - entre outras e muitas coisas - a MPB na pessoa do seu maior embaixador de sempre: António Carlos Jobim. Mas se falar de futebol terei de escrever claro. Não gosto do senhor Scolari. Não esqueço o que se passou com um guarda redes de uma equipa portuguesa, que por sinal na época em questão foi apenas, vencedora da Liga dos Campeões! Assim como não entendo como foi possível jogar três vezes com os Gregos, e nunca lhes ganhar!? Não falo da história das bandeiras. Deu pelo menos jeito a quem as vendeu. Apenas isso, mas foi de mau gosto! Mas que Campeonatos foram ganhos? Pois o Senhor Scolari nunca terá percebido qual o síndroma da tragédia grega.
(EX)CITAÇÕES
''O treinador brasileiro foi hoje dispensado pelo clube inglês com efeitos imediatos, devido às "exibições e resultados" da equipa''.

OUTROS ASSUNTOS

'Fernando Pessoa, Escrevendo' - Margarida Cepêda

OUTRAS CONVERSAS
''Interessante o que escreve hoje, no "Libération", Luis Sepúlveda - um jornalista e escritor chileno cuja leitura muito recomendo: "A vida em sociedade torna-se estranha quandos nos aproximamos dos 60 anos; eu falo de livros que os outros não leram e os outros falam de livros que eu não tenho nenhuma vontade de ler".E ele ainda não sabe que isso se torna porventura mais verdade quando já se passou dos 60 anos...''.
Fonte:Francisco Seixas da Costa, http://duas-ou-tres.blogspot.com/
UM LIVRO
''QUARESMA, DECIFRADOR AS NOVELAS POLICIÁRIAS-edição Ana Maria Freitas, Obras de Fernando Pessoa, Assírio & Alvim, 2008.
OUTRAS MÚSICAS
''LIVE AT VRACHON THEATRE IN ATHENS'' - ELEFTHERIA ARVANITAKI, Emarcy Records Universal Music S.A.2006;

OUTROS LUGARES

MADAGÁSCAR


(EX)CITAÇÕES
"A crise económica e financeira, a corrupção e a proliferação de negócios estranhos ocupam todas as atenções."
Fonte: António Barreto,http://www.publico.clix.pt/
OUTRAS CONVERSAS
''O problema com as frases giras é que o vício nelas embota o raciocínio. A metáfora de Louçã era sobre o trabalho (que seria reprodutor) e o capital (infértil). Ora reduzir os trabalhadores a coelhos que têm coelhinhos é incoerente num defensor da causa fracturante dos homossexuais (até porque se estivermos a falar num casal de coelhos gays já é necessário capital para a reprodução assistida ir avante). E mais: dizer que a acção dos coelhos na cova leva inevitavelmente à reprodução, mais parece o célebre discurso, em 1982, daquele deputado do CDS, João Morgado, que levou com o poema de Natália Correia sobre o truca-truca ("Já que o coito diz Morgado/tem como fim cristalino/preciso e imaculado/fazer menina ou menino..."). João Morgado desapareceu da política: o que leva a supor que as frases célebres não compensam mesmo.''
Fonte: Ferreira Fernandes, dn.sapo.pt.
UM LIVRO
''A Terra das Brumas'' - Obras de SIR ARTHUR CONAN DOYLE, Publicações Europa-América, Maio de 2004.
OUTRAS MÚSICAS, Blues em Lp
''LIVE AT NEWPORT'' - B.B.KING, MUDDY WATERS AND BIG MAMA THORNTON, Astan Music 1984. Notas de viagem: Colheita tardia, servir com muito gelo no copo.

7 de fevereiro de 2009

PORTUGUÊS SUAVE


Notas de outras viagens

Nova incursão no Restaurante Flora, em Vila Franca de Xira. O Mestre Pedro Miguel Gil recebe sempre bem. Sabe também ouvir. Depois ruma-se aos sabores de outros tempos, num espaço onde é ainda obrigatório, saborear e conversar. Falou-se do saudoso Alfredo Saramago, da Revista Epicur e dos charutos. Trouxe comigo o que parece ser o derradeiro número. É o Nº. 71. Acabou-se! Cheguei ao carro e peguei num H.UPMANN, Coronas Major. Lancei-lhe fogo. Brindei aos ''Prazeres privados, Virtudes públicas''. A Epicur foi tudo isto!

Lembrei-me também do escritor e viajante inglês, Bruce Chatwin. Passaram 20 anos sobre a sua morte. Chatwin utilizava os cadernos «Moleskine» para os apontamentos de viagem. Assim começou um livro mítico. Nos dias de hoje, deixaria um mero 'post' no seu blogue, ''Fui para a Patagónia'' .

(EX)CITAÇÕES

''A frase, que é grande e rotunda, parece arrancada ao 'Eusébio Macário' de Camilo, ou inspirada pela 'Besta Esfolada' do Padre Agostinho de Macedo. Mas em estilo, claro, fica muito abaixo. Falta-lhe brilho, eloquência, distinção – o que lhe sobra em tudo o resto, e que não é bom. A vontade de malhar é que me parece uma obsessão''.

Fonte:http://fjv-cronicas.blogspot.com/

OUTRAS CONVERSAS

''A Ilustre Casa de Ramires. Fiz bem em voltar a ele. Tinha um prefácio que me fez saber que quando Eça foi cônsul em Havana tentou defender, sem sucesso, os chineses de nacionalidade portuguesa que estavam em Cuba, como contratados dos campos de acúcar. No fim da segunda metade do século XIX, havia açorianos, madeirenses e cabo-verdianos nas mesmas condições do Havai a Trinidad. E pouco se sabe disso. Os jornalistas e historiadores portugueses não merecem o passado que o seu país lhes deu''. Fonte: Ferreira Fernandes, in Ponto Final, LER Livros e Leitores.

UM LIVRO

''TRAFALGAR, A biografia de uma batalha'' - Roy Adkins, Alêtheia editores, 2009.

OUTROS LIVROS

''Monos é como quem diz: são cinco títulos de Raymond Carver (editados pela Teorema), a preços entre os 5 e os 7,5 euros''.

Fonte:http://bibliotecariodebabel.com/

OUTRAS MÚSICAS, em LP

''MAHAVISHNU'' - Wea Internacional Inc. 1984.Notas de viagem: John Mclaughlin, Mitchell Formam, Jonas Helborg, Bill Evans e Billy Cobham.

5 de fevereiro de 2009

OUTROS ASSUNTOS


Artur Bual (1926-1999)

(EX)CITAÇÕES
''Anteontem, no entanto, o governo indiano anunciou que o Instituto de Tecnologia de Bangalore, tinha acabado de produzir um computador a dez euros capaz de aceder à internet sem fios e a funcionar a energia solar (para baterias de dois watts) – e que vai utilizar para levar a web e o ensino à distância aos lugares mais remotos da Índia rural; parece que cerca de 20 mil Escolas Secundárias ficarão em rede. Os mais cépticos dizem que se trata de campanha eleitoral do governo indiano. Não sei onde foram buscar essa ideia.''

OUTRAS CONVERSAS, Notas de viagem. Artur Bual
''Nasceu em Lisboa em 1926 e faleceu na Amadora em 1999. Pintor, Escultor e Ceramista. Realizou diversas exposições em Portugal e no estrangeiro. Está representado em diversas colecções: Palácio da Justiça de Lisboa, Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, Museus Nacionais, Câmaras Municipais, Centro de Formação Profissional de Pegões, Governo Regional dos Açores, etc. Executou diversos frescos em 12 Capelas, no Alentejo e Ribatejo.Prémios:3° Prémio da Exposição “Um Americano em Paris” - M.G.M. em 1952; Prémio Nacional Amadeo de Souza Cardoso em 1959; 3º Prémio do Sindicato dos Críticos de Arte na I Bienal de Paris em 1959; 1º Prémio do II Salão de Arte Moderna da Junta de Turismo da Costa do Sol em 1964; 2º Prémio do Concurso de Pintura da BP em 1966; Prémio Artes Plásticas das Revistas “Eles e Elas” e “Nova Gente” em 1983 e 1984; Prémio MAC´Carreira em 1997 - Movimento Arte Contemporânea.Colaboração de Ilustração.Tomou parte nos Encontros Inter-nacionais de Arte Caldas da Rainha e Vila Nova de Cerveira, organizados pelo Grupo Alvarez. Com Carlos Avilez e Francisco Relógio, colaborou, como director plástico em várias cenografias levadas à cena no Teatro Experimental de Cascais e do Porto.Foi director gráfico da revista de arte e letras “Contravento”. Executou painéis-mosaico para a estação da CP da Amadora e para o Metropolitano de Lisboa.Ilustrou os livros “Instinto Supremo” de Ferreira de Castro, “As Alegres Noites de Um Boticário” de Miguel Barbosa e “Rencontre avec culture Portugaise” (Nov./91 - Paris).

UM LIVRO
''TELEFONA SE PRECISARES DE MIM'' - Raymond Carver, Editorial Teorema,2001.

OUTRAS MÚSICAS, o Jazz em LP
''AUDIO VISUALCAPES' - Jack Dejohnette´s Special Edition, Impulse,1988:
Notas de viagem: Gary Thomas, sax tenor e flauta; Lonnie Plaxico, baixo eléctrico e acústico; Greg Osby, Sax alto e tenor; Mick Goodrick, guitarras; Jack Dejohnette, bateria.